Pode ser que eu esteja atrasado ao postar só agora um comentário sobre “Saneamento Básico – O filme”, já que a data do seu lançamento foi h...

Uma aula de cinema divertida

09:41:00 Blog da PP do Moura Lacerda 2 Comentários


Pode ser que eu esteja atrasado ao postar só agora um comentário sobre “Saneamento Básico – O filme”, já que a data do seu lançamento foi há mais de um ano. Mesmo assim, arrisco indicar àqueles que (assim como eu) costumam assistir filmes fora do seu “momento”.
Já na sua estréia eu havia me interessado, sabendo que se tratava de um filme do diretor Jorge Furtado, o mesmo do também muito bom “O Homem que Copiava”. E que contava praticamente com todos os melhores atores da nova sofra brasileira.E em nada houve decepção. A história é muito boa. Os personagens são excêntricos e reais. A narrativa é atual e envolvente, cativa tanto o telespectador comum quanto quem busca algo diferente dentro do cinema. Os diversos universos que compõem o filme fazem dele seu merecido destaque entre as últimas obras nacionais: o regionalismo sulista interiorano, as fontes italianas através da trilha sonora e costumes de alguns personagens, e o principal (para quem gosta de audiovisual) a estrutura completa de como é feito um vídeo – ainda que na ironia do diretor.É nesse último aspecto que o filme acaba centrando a maior das atenções: a produção de um curta-metragem. Os moradores de uma pequena cidade têm como única opção para resolver um problema de infra-estrutura que tanto os incomoda os recursos de um orçamento paralisado e reservado para a cultura. Para efetuar a construção da obra tão desejada, com o dinheiro destinado ao outro setor, eles têm que fazer um filme qualquer. Mas até para concretizar um ‘filme qualquer’ percebemos a necessidade de organização e planejamento. E tudo isso está no filme. Desde a alocação de recursos, patrocínio, casting, figurino, equipamentos, roteiro (com suas constantes modificações) até a divulgação e exibição para o público. Mas claro que, na história, de forma muito divertida. O que não deixa de ser uma aulinha. Aliás, melhor ainda porque é uma aula prazeroza!
por Doug Padilha

2 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. é Doug, o mais engraçado mesmo é eles não terem nenhuma experiência em produção e direção e fazerem um curta muito engraçado que "dá o recado" para a população daquela comunidade.

    sem contar que com os ótimos Wagner Moura, Camila Pitanga e Fernanda Torres e outros o filme fica com ar de superprodução.

    ResponderExcluir